• Lilian Donatti

Fazendo as pazes com nossas emoções


Não sei se você já percebeu, mas às vezes estamos brigando com nossas próprias emoções... estamos com raiva de ter raiva ou tristes de estarmos tristes! Não é curioso isso?... Se isso acontece é porque não estamos entendendo ao certo as funções das emoções em nossas vidas!

Pense que suas emoções são seus sinalizadores ou seu termômetro, talvez assim você passe a dar mais atenção a elas e consiga conviver mais “pacificamente”, até ao ponto de agradecer por ela estar ali, te apontando algo... Sim, pois essa é exatamente a função das emoções em nossa vida: nos apontar o que está acontecendo conosco!

Vamos olhar para elas?

A alegria: ah, essa é fácil, essa é agradável sentir, queremos sempre! Nos aponta para aquilo que nos deixa felizes, satisfeitos, realizados! Nos comunica sobre as coisas que fazem sentido em nossa vida.

A tristeza: essa pode incomodar quando vem, mas veja que importante, ela vai nos comunicar algo que está contra a nossa expectativa, algo que não queremos, que não está bom, que não toleramos... Aqui alguma coisa precisa mudar!

O medo: esse também muitas vezes é ruim em um primeiro momento, mas já parou para pensar o quanto estaríamos vulneráveis se não sentíssemos medo... sabe por quê? Ele nos comunica quando precisamos estar alertas. O medo pode nos ajudar, nos proteger, nos tirar de uma situação de risco... Então nem sempre o medo é ruim. Ele será ruim quando nos impedir de seguir ou de fazer algo, quando nos congela e não nos deixa agir, esse já seria um medo patológico.

A raiva: essa pode ser devastadora e corrosiva se cultivada... mas ela nos comunica algo muito importante, nos mostra que estamos diante de algo que não gostamos, que incomoda, que é invasivo, representa estarmos diante de algo que nos simboliza uma regra interna violada, e que portanto, não conseguimos tolerar. O que me faz mal? O que está além do meu limite? A raiva pode ser um indicativo do que precisamos filtrar em nossas vidas.

Aqui são alguns exemplos... Poderíamos falar das emoções por horas e horas, mas com esse breve texto já fica possível entender por que elas existem em nossas vidas.

E sabe quais os 2 grandes caminhos transformadores?

Primeiro quando conseguirmos não mais brigar com elas e sim passar a ouvi-las: o que elas precisam me comunicar? Aprender a conviver com nossas emoções é o primeiro segredo. Elas não vão simplesmente “evaporar”, elas vão se apaziguar quando formos capazes de entendê-las e de agirmos coerentemente, aí sim elas se dissolvem, se diluem e voltamos ao nosso estado de harmonia. E elas voltarão quando for necessário, pois fazem parte da nossa natureza humana. E que bom que existem! 😊

O segundo grande caminho transformador é: quando estivermos em harmonia, em equilíbrio, ficará mais fácil percebermos quando saímos do eixo e identificaremos qual emoção está “chegando” e o que ela quer nos comunicar.

Percebe como é possível sairmos da impulsividade? O autoconhecimento é a chave!

Então, faça as pazes com suas emoções e valorize quando elas aparecerem para lhe comunicar algo.

Nossa mente é extremamente inteligente! Somos muito mais capazes do que aquilo que imaginamos!


7 views0 comments